SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER

Investir e reorientar

Política de desinvestimento dos últimos anos tem de acabar.

Acácio Pereira

09.05.2016 00:30
  • Partilhe
Parte significativa do contributo do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras – SEF para segurança interna nacional advém do trabalho de cooperação realizado com serviços externos tais como a Interpol, a Europol ou a agência Frontex. Hoje os inspetores do SEF, graças à sua especialização e profissionalismo, são considerados internacionalmente dos elementos mais bem preparados para a defesa do espaço comum europeu de livre circulação.

Mas a missão internacional do SEF tem outras dimensões fundamentais, como a Ministra da Administração Interna recentemente reconheceu. Os Oficiais de Ligação de Imigração (OLI) do SEF, colocados nas representações diplomáticas portuguesas, realizam um importantíssimo trabalho de recolha de informação e de análise que está na base da eficácia do serviço no seu conjunto.

Sendo o trabalho dos OLI fundamental para a boa cooperação com os países de origem dos que procuram Portugal como destino de trabalho, residência ou turismo, a política de desinvestimento realizada nos últimos anos tem de acabar. É imprescindível ter mais elementos destacados. Mas, sobretudo, é preciso destacá-los para os países de onde chegam as novas tendências migratórias.

Acácio Pereira

Presidente do Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF

0
A notícia foi guardada na sua lista de notícias favoritas. Faça a gestão dessa área na sua conta.
Enviar o artigo: Investir e reorientar
Comentários
enviar
MAIS OPINIÕES DE Acácio Pereira
Receba diariamente as principais notícias ok
voltar ao topo