25.06.2016  00:30
O grito do Britiranga
Havendo oportunidade, os Europeus rejeitam esta Europa.
  • Partilhe
Por Joana Amaral Dias

A União Europeia tem servido aos seus povos chicote no lombo, infantilização e despotismo. Sim, isso tudo, uma mistura conhecida por austeridade, perda de soberania e poderes não eleitos, respetivamente. Mais o medo e a chantagem como cerejas no topo do bolo. Portanto, estavam à espera de quê? Sorrisinhos amarelos, água de malvas e um beijinho de boas-noites?

É evidente que, havendo oportunidade, os europeus rejeitam esta Europa. Em 2005, os franceses já tinham dito ‘Não’ e foram silenciados. Seguiram-se os holandeses e, mais recentemente - de outra forma -, os gregos. Mas este ‘Não’ é mais estridente. E nada de ilusões. Sim, há xenofobia neste grito de Ipiranga. Só que há também muita mágoa, desilusão, raiva, desamparo, desemprego, precariedade, sonhos adiados, vidas vencidas.

Que a direita não entenda a autodeterminação dos povos e a vitória do voto, é coisa sabida. Agora, a esquerda deve entender a recusa desta Europa, da coligação perversa da Alemanha com o poder financeiro, desta Europa sinistra e cínica, cheia de alçapões, sombras e cortinas de fumo. Desta UE irreformável e antidemocrática. Enfim, estamos, finalmente, perante uma saída limpa. Esperemos que as próximas não sejam pela porta do cavalo.

Siga o CM no Facebook.

PUBLICIDADE