Parque das Nações - Início
Oceanário de Lisboa
Atlântico - Pavilhão Multiusos de Lisboa

Objectivos, Como Era..., Estratégia Ambiental, Monitorização, Divulgação e Sensibilização
Tema, Participantes, Recinto, Serviços, Eventos, Edições, Notícias
Estação do Oriente, Acessos, Estacionamentos, Alojamento
Espectáculos, Diversões, Eventos, Exposições, Pavilhões e Museus, Espaços Exteriores
Restauração e Lojas
Programa Educação, Rota das Nações, Oficina de Ambiente, Ambiente Divertido, Atelier dos Oceanos
Aluguer de Espaços, Aluguer de Equipamento, Informações Úteis, Serviços ao Visitante, Serviços Externos, Provedoria da Qualidade
Notas de Imprensa, Revista Parque Contactos

 

Pavilhão Praça SONY

Infraestruturas Arquitectura e Paisagismo Arte Urbana Zonas Residenciais Centro de Negócios Comércio e Lazer Venda de Terrenos

Parque das Nações - Um presente para o futuro

Parque das Nações - Projecto Urbano

VídeoA urbanização do Parque das Nações, abrange uma área de 340 ha, com 5 km na frente ribeirinha do estuário do Rio Tejo, e integra numa área de 60 ha, ao redor da antiga Doca dos Olivais - construída nos anos 40 para aeroporto de hidroaviões - o espaço expositivo da Exposição Mundial de 1998. Tendo por alicerce a 1ª fase da urbanização - concepção do espaço público e edificado para a realização da EXPO'98, incluindo os seus apoios urbanos (áreas residenciais, equipamentos, serviços, infraestruturas urbanas, estacionamentos, zonas verdes) - o conceito urbano corresponde a revalorizar a relação da cidade com o Rio, recuperar o ambiente e a paisagem, reconverter o uso, assegurar a integração deste espaço no tecido da "cidade" e a participação na sua identidade, de forma a constituir uma nova centralidade na área metropolitana de Lisboa. Assim a EXPO'98 constituiu não só a oportunidade de requalificação urbanística e ambiental, mas também de modernização e internacionalização da cidade de Lisboa - para o que contribuem as acções concertadas de ordenamento dos municípios, no domínio da reconversão e requalificação, das acessibilidades e transportes, dos equipamentos, dos serviços e infraestruturas, do tecido urbano e dos eventos que projectam a sua identidade.

Parque das Nações - Projecto Urbano

Com efeito o desenvolvimento e a qualificação das cidades pressupõe a capacidade delas enfrentarem os desafios da sua modernização, com respeito pelo ambiente e as suas características intrínsecas, sem contudo deixarem de ser competitivas na captação dos investimentos e realizações que o viabilizem.

O facto da área global do Parque das Nações ter sido totalmente liberto de todas as actividades que ali se encontravam, permitiu que o planeamaneto urbano fosse traçado em termos das necessidades da cidade ideal.

Identificadas estas necessidades através de extensos estudos de mercado dirigidos, quer às empresas, quer aos futuros habitantes do Parque das Nações, delineou-se a melhor forma de as satisfazer. A estratégia adoptada foi a de criar um espaço urbano de elevada qualidade, integrando as mais diversas funções urbanas por forma a obter uma vivência equilibrada. Não faltam actualmente aos residentes,  serviços de apoio, como comércio e restauração, escolas, espaços de lazer ou infraestruturas desportivas e a curto prazo, um hospital e outros serviços complementares. As empresas que já optaram pelo Parque das Nações, beneficiam de um espaço urbano que integra as mais recentes tecnologias nas suas infraestruturas. Além do mais, os edifícios, construídos sobre plataformas, maximizam a notoriedade da imagem corporativa, resolvendo em simultâneo a questão do estacionamento.

O Projecto Urbano em números

© 1998, 2000 Parque EXPO 98, S.A.
Envie os seus comentários para info@parquedasnacoes.pt
Mantido por webmaster@parquedasnacoes.pt
Última actualização em 01 Sep 2000 10:13