Parque das Nações - Início
Oceanário de Lisboa
Atlântico - Pavilhão Multiusos de Lisboa
NetParque
Conceito e Objectivos, Infraestruturas, Arquitectura e Paisagismo, Arte Urbana, Zonas Residenciais, Centro de Negócios, Comércio e Lazer, Venda de Terrenos
Tema, Participantes, Recinto, Serviços, Eventos, Edições, Notícias
Estação do Oriente, Acessos, Estacionamentos, Alojamento
Espectáculos, Diversões, Eventos, Exposições, Pavilhões e Museus, Espaços Exteriores
Restauração e Lojas
Programa Educação, Rota das Nações, Oficina de Ambiente, Ambiente Divertido, Atelier dos Oceanos
Aluguer de Espaços, Aluguer de Equipamento, Informações Úteis, Serviços ao Visitante, Serviços Externos, Provedoria da Qualidade
Notas de Imprensa, Revista Parque
Contactos

Pavilhão Atlântico

Objectivos Estratégia Ambiental Gestão Ambiental Oficina do Ambiente Monitorização Divulgação e Sensibilização Grupo de Discussão

Degradação e Poluição

O Parque das Nações localiza-se na parte oriental da cidade de Lisboa, numa zona de transição entre os municípios de Lisboa e Loures. Os seus limites físicos são a Av. Marechal Gomes da Costa, a Sul, o rio Trancão, a Norte, o estuário do Tejo, a nascente e a linha de caminho de ferro do Norte, a poente.

[ A Doca dos Olivais antes da intervenção]

VídeoO Parque das Nações era ocupado por grandes infra-estruturas industriais, nomeadamente a refinaria da Petrogal e depósitos de produtos petrolíferos (ex-Sacor e outras companhias, ocupando cerca de 50 ha), o Matadouro Industrial de Lisboa, o Depósito Geral de Material de Guerra, a Estação de Tratamento de Águas Residuais, o Aterro Sanitário e a Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos (ETRS) de Beirolas, além de diversas instalações portuárias e actividades afins.

[ Zona de Intervenção em 1993 ]

Na zona imediatamente a poente da linha de caminho de ferro, foram-se instalando também pequenas e médias indústrias, de modo pouco ordenado sob o ponto de vista de planeamento urbanístico.

As principais razões explicativas do estado de degradação e poluição atingido no Parque das Nações, antes da intervenção da Parque EXPO - entidade responsável pela realização da exposição mundial de 1998 e dos trabalhos necessários para o seu sucesso, deviam-se essencialmente:

  • Ao tipo de indústrias e à fase em que foram instaladas, correspondendo a um período no qual eram ainda incipientes as preocupações ambientais e os meios técnicos para as materializar;
  • À forma de implantação dessas indústrias, então alheia a critérios de ordenamento;
  • À natureza dominial de uma grande percentagem do solo, mantido em situação expectante, mas sem controlo em relação a situações de utilização clandestina, como seja o abandono de lixos e detritos de construção;
  • Ao envolvimento da zona industrial portuária pelo tecido urbano, criando uma situação conflitual de interesses, que progressivamente questionaria a vocação estabelecida, face à maior dinâmica do "uso" urbano e à incapacidade de resposta e reconversão dos usos instalados.

© 1998, 2000 Parque EXPO 98, S.A.
Envie os seus comentários para info@parquedasnacoes.pt
Mantido por webmaster@parquedasnacoes.pt
Última actualização em 21-12-2000