Domingo, 26 de Abril de 2009

Estudo Rápido



Voltei, só para limpar as teias de aranha do blog, com um estudo rápido :)

Lápis e aguarela

Sábado, 14 de Março de 2009

20 anos de Manga na Europa

Duas décadas de mangá no continente europeu deixaram marcas indeléveis na produção e indústria local. Hoje, 40% da indústria de BD no continente tem o dedo dessa estética, que começou a partir da publicação de Akira, de Katsuhiro Otomo, e a partir daí, foi como uma bola de neve, nunca mais parou e foi crescendo. Não foi nem é uma moda, porque modas são coisas passageiras, efémeras: é uma realidade, concreta e sólida, que extrapolou os media em si e tornou-se um movimento cultural que ultrapassou as próprias origens, gerando iniciativas de produção ao redor do mundo – comparativamente, é o rock do traço, influenciando toda uma geração de jovens leitores e artistas. E com tudo isto, o Centre Belge de la Bande Dessinée, em Bruxelas, abriu uma exposição para comemorar as duas décadas de introdução e crescimento dessa estética de origem nipónica que hoje desperta iniciativas, reactiva mercados moribundos – quando não activa mercados inexistentes – e trouxe variedade de géneros para leitores afastados da BD.

O Centre é um dos mais importantes espaços dedicados à BD em território Belga – e falamos de um país onde a BD é levada muito a sério. Será bom lembrar que muitas das grandes obras da BD europeia não são realmente francesas, mas belgas – como o famoso Tintin, de Hergé. A exposição contará com exibição de edições raras, documentos originais, reproduções de objectos e outros marcos da presença “mangática” nestes vinte anos.

Terça-feira, 25 de Novembro de 2008

Bang Bang 2 e a luta continua...

Como digo algures no livro: ... a luta de publicar BD em Portugal por mero prazer.

Quando faço BD, Muitas vezes acaba-me a paciência e desleixo-me completamente em algumas vinhetas.

O meu storytelling é bastante fluido e dinâmico, mas por causa deste desleixo, e da ânsia de acabar uma prancha acabo por pecar em bastantes aspectos.

Este segundo volume Bang Bang perdeu imensa qualidade na impressão. Fiquei sempre sem saber o que iria sair na impressão final, pois desta vez não tinha tinteiro para fazer testes com várias opções de tramas como no primeiro. No primeiro capítulo queria fazer uma coisa diferente, com linhas e tramas diferentes, mais simples. Acabei aqui por usar só o Photoshop para o fazer. Apesar de manter sempre as margens e de ter cuidado com a posição dos balões e respectiva legendagem, as páginas do livro ficaram demasiado coladas, quase 1 cm, coisa que eu não contava, e por isso em alguns balões torna-se difícil a leitura. terei isto ainda mais em conta para a próxima...


O caso desta prancha abaixo, gostei bastante da transformação que fiz à imortal carrinha, popularmente conhecido por "Pão de Forma" da Volkswagen, recorrendo a revistas e até chegar a este produto final passou por várias fases. O vilão desenhei-o aparte para evitar confusões de linhas e para a perspectiva do veículo me sair de forma mais correcta, alias, faço isto frequêntemente.

Além disso, comecei a usar seriamente o Manga Studio, acabei por me habituar a este programa, é uma ferramenta bastante poderosa, mas não tão simples como o Comicworks, no qual costumava trabalhar (em Japonês mesmo, ou com uma versão parcialmente traduzida.

Ao escrever o argumento, ou pelo menos as ideias base, coisas p
ara me lembrar a mim próprio, ocorreu-me uma ideia para a tortura, uma ideia que me ficou na cabeça durante muito tempo, a ideia do arame farpado, penso ter visto isto num filme, mas não me lembro absolutamente nada, ficou-me sempre aquilo na ideia, sem sequer saber porquê, ou talvez por ser algo que me marcou. Resolvi então ir ao baú das minhas memórias e sacar esta lembrança. A história vai estar repleta de flashbacks a partir de agora, e pretendo manter o mesmo estilo, estilo simples, e muito básico, para contrastar com o restante desenho.

A capa do livro saiu-me quase do nada, já sem muito tempo para produzir uma capa colorida de forma tradicional comecei a digitalizar ilustrações e a colorir, tudo com texturas só a pele e o cabelo dos personagens é que têm cores propriamente ditas, acabando por ficar com um excelente aspecto. Decidi mesmo no último instante colocar o título Bang Bang em Kanji, assim como o nome das personagens...

No próximo post falarei dos cenários, e a importância que eles têm para mim.

Até lá!!!




Segunda-feira, 10 de Novembro de 2008

FIBDA 2008: Momentos intensos


Brevemente, irei postar uma espécie de diário, de 3 fins de semana intensos no 19º Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora.
Tão intensos que no último fim de semana fiquei com gripe...

Brevemente, com fotos e opiniões pessoais. Deixo para já a capa do Bang Bang #2 do qual tenho tido reacções positivas. Por parte de alguns leitores.

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2008

O 2 está terminado


Neste segundo volume, apresento nele a ideia base da motivação de uma das personagens principais e o esqueleto que sustenta a história. Queria tê-lo feito ainda no primeiro volume mas não foi possível.

Neste momento eu e Pedranocharco estamos a estudar a possibilidade de alterar um pouco o formato das futuras publicações de modo a ajustar a periodicidade das publicações. Um menor período de espera entre volumes seria não só favorável para o leitor como, devo admitir, para que eu próprio mantenha a motivação e não me deixe desleixar como acontece quando os prazos de entrega são incertos e as datas de publicação indefinidas até ao último momento.

No entanto, desta vez todo o trabalho me saiu com mais fluidez e assim que me voltei a embrenhar no projecto tornou-se difícil o parar de desenhar. Progressivamente começo a levar a história para cenários mais bizarros. Para o terceiro volume a minha intenção é fazê-lo um pouco mais extenso e dar um maior desenvolvimento à história em curso, agora que as suas bases estão lançadas.

Foi nalgumas ocasiões falado por altura do primeiro volume, a influência de Tsutomu Nihei no meu trabalho. A minha inspiração inicial em 2005 para começar a desenvolver esta ideia partiu mais de Yukito Kishiro, no entanto não posso negar que o meu estilo pessoal sofreu influências de Nihei, de quem alg
umas obras me ficaram e ficarão sempre na memória. Mas quando estamos dispostos a aprender e temos gosto em contactar com novas técnicas e estilos diversos, são muitos os autores que nos influenciam e nunca apenas um.
PS: Pronto Geraldes Lino já tenho aqui uma prancha totalmente finalizada.

Quarta-feira, 14 de Maio de 2008

?Rumo ao 2?

Mais uma treta feita no Photoshop, isto foi o banner da Central Comics, resolvi dar-lhe mais uns toques. Desta vez converti a linha para vector ficou excelente. Depois foi jogar com texturas e cores. Até que me enchi e pronto. (Geralmente é desta forma que acabo os meus trabalhos)E pronto, o resultado foi este:Agora, como obter texturas? Basta ser criativo, há por aí na net muita coisa, mas basta arranjar uma folha de papel reciclado digitalizar a cores, enfiar umas manchas de tinta e ajustar os contrastes e cores... Enfim, uma infinidade de ideias.


Quarta-feira, 30 de Janeiro de 2008

Kitsune, personagem central da Bang Bang, ainda em forma (penso eu).
Desta vez, se tiver tempo, irei colocar tramas à moda tradicional...

CANSSSSADO!...