dezembro 26, 2006

O BDjornal #16 JÁ ESTÁ À VENDA

Como já foi dito aqui, o BDjornal #16 vai ser distribuido de um modo diferente dos anteriores. Seguiram já para as habituais lojas especializadas os exemplares do costume. Novos pontos de venda estão a ser pesquizados (já temos mais 10), cuja lista será publicada aqui nos próximos dias.

Para já fica o Press Release desta edição:

BDJ16b.jpg

Com um editorial onde se anunciam as próximas mudanças na distribuição do jornal, a edição número 16, do BDjornal, é quase toda virada para as análises da 17ª edição do Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora, que decorreu entre 20 de Outubro e 5 de Novembro passados.
Isto porque, sendo este o evento de maior vulto para a BD nacional, fazendo o balanço do FIBDA avaliamos o estado das coisas dum modo mais geral.

Começando pela nossa própria análise e continuando depois pela de Nelson Dona, numa entrevista concedida a Nuno Pereira de Sousa, quase à hora de fechar o Festival, seguindo-se José Carlos Fernandes com dois textos: O Tempo dos Retornos Minguantes e A “Verdade” dos Números, e de José de Freitas, com A Opinião de um editor sobre o 17º FIBDA, propomos uma leitura abrangente do que se pensa que foi o FIBDA deste ano, embora, como não podia deixar de ser, com opiniões diferentes.

Depois, são as entrevistas que Pedro Cleto, com João Paulo Cotrim e Miguel Rocha sobre SALAZAR – Agora, na Hora da sua Morte, e Nuno Franco, com Angel de la Calle e com Mauricio de Sousa, fizeram durante o Festival, complementadas com opiniões sobre os livros dos entrevistados, sendo que o texto sobre MODOTTI, de Angel de la Calle foi analisado por Sara Figueiredo Costa.

Desta vez João Miguel Lameiras não teve hipótese de nos acompanhar nestas páginas, ocupado que esteve a remontar a Livraria Dr. Kartoon em Coimbra, que adquiriu (com outros sócios) a Fanny Denayer. A inauguração decorreu no dia 16 de Dezembro e desejamos-lhes toda a sorte possível. Ver post anterior no Kuentro, sobre este assunto.

Todo este jornal tem portanto, mais ou menos a ver com o FIBDA, mesmo naquilo que não pareça, pelo que aconselhamos a atenção dos leitores ao paralelismo que certos textos estabelecem (ver por exemplo os textos de Pedro Vieira de Moura sobre MERCI PATRON, de Rui Lacas e SOLO de Filipe Abranches) e terminamos com a apresentação do cartaz e a pré-programação do Festival de Angoulême, que se realizará em Janeiro de 2007.

O Pequeno léxico disléxico… de Leonardo de Sá prossegue, sem conseguir terminá-la, a exploração da letra C, onde se destaca a história dos Comics. É um contributo importante e regular, como o são as BDs em continuação que aqui apresentamos. Neste número termina o 1º Capítulo de BRK, de Filipe Pina e Filipe Andrade.

E depois de algumas críticas a livros, como as já citadas de Pedro Vieira de Moura e outras de Pedro Cleto, procuramos manter minimamente actualizadas as referências à BD nacional e internacional nas páginas finais do BDj.

Acrescente-se ainda um texto de Osvaldo Macedo de Sousa, sobre o Cartoon no século XXI, resultado de um inquérito feito a vários autores, à escala mundial.

Já agora, esclarecendo um pouco a capa desta edição do BDjornal, diremos que se trata de um preview, complementado na página 29, de um projecto de que daremos conta na próxima edição. Adivinhem quem é o autor e qual é o projecto…

Publicado por jmachado em 11:38 AM | Comentários (378) | TrackBack

dezembro 25, 2006

BOAS FESTAS A TODOS !!!

deboas festas1.jpg

Publicado por jmachado em 11:37 AM | Comentários (358) | TrackBack

dezembro 21, 2006

SALAZAR EM BEJA E REABERTURA DA DR. KARTOON EM COIMBRA

Quase ao mesmo tempo, no mesmo dia 16 de Dezembro, deram-se dois acontecimentos de importância para a BD neste país. A Bedeteca de Beja apresentou SALAZAR, AGORA, NA HORA DA SUA MORTE, de João Paulo Cotrim e Miguel Rocha, com exposição que se prolonga até 4 de Janeiro. Mais a norte, reabriu a Dr. Kartoon, uma livraria de referência na Banda Desenhada e que, por via do regresso de Fanny Denayer à Bélgica, esteve fechada alguns meses.

FOTOBDTECABEJA3.jpg
Torreão da Casa da Cultura de Beja onde, no 1º andar, se situa a Bedeteca.

Bedeteca de Beja
“Salazar – Agora, na hora da sua morte”

No dia 16 de Dezembro foi apresentado na Bedeteca de Beja, o livro Salazar – Agora, na hora da sua morte, com a presença dos autores - João Paulo Cotrim e Miguel Rocha.

A apresentação teve lugar na sede do MURPI em Baleizão, e na Bedeteca de Beja. O livro foi apresentado, respectivamente, por Paulo Barriga e por Paulo Monteiro (Bedeteca de Beja).

Teve ainda lugar, a inauguração da exposição com o mesmo nome na Galeria de Exposições Temporárias da Bedeteca de Beja/Casa da Cultura – 1º andar.
A exposição poderá ser visitada até 5 Janeiro de 2007, de 2ª a 6ª das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 23h30. Aos sábados estará patente ao público das 14h00 às 20h00.

A apresentação do livro foi realizada pela editora Parceria A. M. Pereira, pela Longitude Zero – Associação, e pela Bedeteca de Beja – Câmara Municipal de Beja. A iniciativa teve o apoio da Junta de Freguesia de Baleizão, da Câmara Municipal de Beja, e do MURPI Baleizão.

sal1.jpg

sal2.jpg

LIVRARIA DR. KARTOON - COIMBRA VOLTA A TER LIVRARIA ESPECIALIZADA EM BD

Fundada em Março de 1998 por Fanny Denayer, uma cidadã belga que se deixou conquistar por Portugal em geral e por Coimbra em particular, a Livraria Dr. Kartoon foi, durante mais de oito anos, uma referência da Banda Desenhada em Portugal, especialmente para os apreciadores da Banda Desenhada franco-belga, tendo passado pela livraria grandes nomes da BD internacional, como François Schuiten, Joann Sfar e Etienne Schréder.

Também são muitos os autores nacionais, cuja história se cruza com a da Livraria. Não só os que por lá passaram em sessões de autógrafos, como José Carlos Fernandes, Miguel Rocha, Luís Louro, David Soares e Luís Pinto-Coelho, mas também nomes como os de Fernando Relvas, Daniel Maia e Ricardo Ferrand, que trabalharam também na Livraria, em contacto directo com os seus leitores. O caso de Ricardo Ferrand é a esse nível paradigmático, por se tratar de um autor de Coimbra que graças à actividade de Fanny Denayer como editora, teve oportunidade de ver o seu trabalho publicado. Uma oportunidade oferecida também aos participantes dos Concursos de Banda Desenhada que a Livraria Dr. Kartoon promoveu, primeiro com o apoio do jornal A Cabra, e depois a titulo individual.

Com o regresso à Bélgica da Fanny este Outono, Coimbra, que acabava de ver a sucursal local da BDMania encerrar as portas, arriscava-se a ficar sem nenhuma livraria de Banda Desenhada. Foi esse panorama negro que levou um grupo de amigos apaixonados pela Banda Desenhada nas suas mais diversas formas, a juntar-se numa empresa. É essa empresa, Andróides, Lda. que agora toma conta da Livraria, prosseguindo com o trabalho, sem deixar de introduzir um cunho pessoal e uma dinâmica que se vinha perdendo. Assim, para além da BD franco-belga, que era o forte da loja e vai continuar presente, teremos ainda as últimas novidades de comics e de mangá, para além de jogos de tabuleiro, merchandising e, obviamente, as principais novidades de autores portugueses.

Estiveram presentes os autores Luís Henriques, que apresentou o “Tratado de Umbrografia” primeiro volume da série “Black Box Stories”, e Rui Lacas, que trouxe o álbum “Merci Patron”, acabado de lançar em França pela editora Paquet.

Esperamos por vós

Fernando Ferreira
João Miguel Lameiras
João Ramalho Santos
Miguel Reis

Andróides. Lda

HPIM2809.JPG

HPIM2799.JPG
João Ramalho Santos e João Miguel Lameiras

HPIM2803.JPG
Lacas e Luís Henriques dão autógrafos...

E, muito importante: o BDjornal está lá à venda, com colecções completas. E também a BDVoyeur, o Manual de Posições para Labregos, etc... etc...

Publicado por jmachado em 08:02 PM | Comentários (310)

dezembro 09, 2006

ALTERAÇÕES NO BDjornal...

O BDjornal #16 entrou na gráfica para impressão e acabamento, na quinta feira, dia 7/Dez. Contudo, após uma análise às contas, torna-se necessário um breve comunicado aos leitores.

BDJ16a.jpg

Passado ano e meio sobre o início desta aventura de fazer um jornal sobre BD e meio ano depois de uma alteração mais ou menos profunda do projecto, a crueza dos números obriga-nos já hoje a um balanço e a repensar a nossa política de distribuição.

Quer queiramos, quer não, é preciso que nos rendamos às evidências: o BDjornal é comprado apenas por cerca de 1.000 leitores, incluindo as 130 assinaturas. Uns números vendem mais, outros menos. Portanto, é perfeitamente improfícuo e caro, continuar a imprimir 5.000 ou 3.000 exemplares quando, face ao mercado que temos, a esmagadora maioria deles vai para o lixo. Isto, mesmo depois das alterações feitas em Junho passado.

Por este motivo e para, ainda assim, continuarmos por mais algum tempo com esta aventura cara e que não nos dá sequer retorno, vamos reduzir drasticamente a tiragem para 1.500 exemplares, o que exige algumas alterações. A primeira é deixar de ter a Vasp como distribuidora nacional. E aqui impõe-se dizer que a falta de um distribuidor de pequenas publicações é dramática. Isto porque a Vasp, habituada que está a lidar com os grandes jornais e revistas nacionais, não tem a percepção do mercado para as pequenas tiragens, além de exigir pagamentos de funcionamento que resultam – feitas as contas - em não recebermos nada e termos ainda de pagar para ser distribuídos por eles.

A partir deste momento estamos pois a tentar criar uma rede de lojas especializadas, entre livrarias e papelarias ou tabacarias, a nível nacional, que se apresente fiável em matéria de pagamentos, a acrescentar aos cerca de 25 pontos de venda que já temos desde o início. Para isso temos contado com a colaboração de alguns assinantes e amigos que nos têm indicado possíveis pontos de venda, especialmente nas capitais de Distrito, na Grande Lisboa e no Grande Porto.

E gostaríamos que outros leitores nos fornecessem pistas para novos postos de venda. Podem fazê-lo para o email bdjornal@yahoo.com, ou também sem ter de pagar nada, por carta via CTT para:

Remessa Livre 110 - EC Alcabideche - 2646-960 ALCABIDECHE.

A listagem de pontos de venda irá estar disponível aqui no Kuentro (kuentro.weblog.com.pt) e todos os meses será actualizada.

Vamos, por outro lado, tentar que os jornais não cheguem amassados aos assinantes, enviando os exemplares do BDjornal em envelopes almofadados e, com esta medida, incentivar as assinaturas. Sabemos que muitas pessoas não assinam o jornal por causa do estado em que os CTT o entregam ao destinatário, sendo que as assinaturas são para nós um meio precioso para manter o projecto em marcha.

Tudo isto, associado ao aumento dos preços de produção, a ocorrer a partir de Janeiro de 2007, vai ter, evidentemente, custos. Daí que a partir do próximo número, o 17 (Fevereiro/Março), o preço de capa vá aumentar para € 4,00 (mantendo as 60 páginas, sendo 16 a cor e em papel melhorado), repondo-se assim aproximadamente o preço que o jornal teve durante o 1º ano, em que se pagava por ele € 2,00 mensalmente (com 30 páginas em papel inferior e apenas 2 a cor).

Isto significa também que as assinaturas vão subir de preço e ficar aos mesmos preços do 1º ano: vão ser de € 22,00 por 1 ano (6 números). E, logicamente, nenhum assinante actual vai ter de pagar acréscimo algum até terminar a assinatura que ainda tem. Esta subida dos preços das assinaturas apenas está em vigor desde 1 de Dezembro, para novos assinantes.

Esperamos que os leitores entendam estas alterações e que elas se destinam, em primeiro lugar, a tentar viabilizar o projecto. Esperamos também que, na impossibilidade de encontrarem o jornal perto de casa, se decidam pela assinatura, ou mesmo pela compra on line, através deste blog, ou enviando um email de compra para bdjornal@yahoo.com, tendo no entanto que contar com portes de envio, neste caso.

Publicado por jmachado em 06:55 PM | Comentários (249)