maio 30, 2008

NA BEDETECA DE LISBOA - 10 ANOS DA BD GALEGA

bdgalega0.jpg

bdgalega2.jpg

No próximo dia 31 de Maio, pelas 15 horas, a Bedeteca inaugura a exposição 10 anos da BD Galega, que mostra como nos últimos 10 anos o contexto relativo à banda desenhada galega alterou-se significativamente: às Xornadas de Ourense e ao Salón de Cangas, juntou-se o Viñetas desde o Atlántico (desde 1998), que tem levado à Galiza nomes importantes da banda desenhada internacional, colocando a região na rota dos grandes festivais.

O surgimento, no início do milénio, de colectivos independentes como o Polaqia ou o BD Banda, permitiu que muitos dos autores mais jovens dessem visibilidade ao seu trabalho, conquistando leitores e público. A exposição agora patente, resultado do apoio inequívoco que a Xunta de Galicia presta aos artistas da região, apresenta trabalhos de 42 autores de várias gerações – desde Xaquín Marín (1943) a Diego Blanco (1981) –, e mostra a riqueza e diversidade da banda desenhada galega, reunindo vários estilos e tendências numa prova de enorme vitalidade.

Mostra organizada pelo Festival "Viñetas desde o Atlántico", Asociación Galega de Professionais da Ilustración e as Xornadas de BD de Ourense, com o apoio da Xunta da Galicia. Esteve patente na quarta edição do Festival Internacional de BD de Beja durante o mês de Maio.

Durante o período da sua permanência no Palácio do Contador-mor, nos Olivais, a equipa da Bedeteca organiza visitas guiadas e ateliês de BD, destinados a grupos escolares (crianças a partir dos 8 anos) e ao público em geral. A participação é gratuita e está prevista, sob marcação, à Sexta-Feira: 10h30 ou 14h30.

A exposição estará patente até 20 de Junho no horário normal de funcionamento da Bedeteca.

bdgalega1.jpg

Publicado por jmachado em 03:37 PM | Comentários (184) | TrackBack

maio 28, 2008

VI TROFÉUS CENTRAL COMICS 2008 - ESTÃO JÁ A VOTAÇÃO OS NOMEADOS PARA AS DIVERSAS CATEGORIAS

VITROFCC1.jpg

Este ano o júri do evento é constituido por Hugo Jesus (livreiro e responsável pelo portal Central Comics), Daniel Maia (autor de BD), Pedro Cleto (crítico e jornalista do Jornal de Noticias), Sara Figueiredo Costa (crítica e jornalista de Os Meus Livros) e Nuno Amado (moderador do fórum Central Comics).
Assim, além da nomeação da Pedranocharco para Melhor Editora, estão também nomeados:

BDjornal para Melhor Revista,
ÁLVARO e FILIPE PINA para Melhor Argumento Nacional (o Álvaro pelo Sexo, Mentiras e Fotocópias e o Filipe pelo BRK no BDjornal)
FILIPE ANDRADE e LUÍS HENRIQUES para Melhor Desenho Nacional (ambos por trabalhos editados no BDjornal).

Quanto à inclusão de Luís Henriques, devo esclarecer que as excelentes pranchas dele que foram publicadas no BDjornal, fazem parte do TRATADO DE UMBROGRAFIA, com argumentos de José Carlos Fernandes, livro que foi premiado em todas as categorias do XVIII Festival Internacional de BD da Amadora de 2007.

Ainda, na categoria Melhor Curta não editada em Álbum, o Álvaro concorre com O VINGADOR NOCTURNO (in BDjornal 20) e o Pedro Alves com FESTIVAL DE BANDA DESENHADA (in BDjornal 18). Por último, a rubrica DICIONÁRIO UNIVERSAL DE BANDA DESENHADA de Leonardo De Sá no BDjornal, está nomeada para um novo prémio que se estreia este ano, Melhor Projecto em BD.

VITROFCC2b.jpg

VITROFCC3.jpg
BRK, de Filipe Pina (arg) e Filipe Andrade (des). O VINGADOR NOCTURNO, de Álvaro

VITROFCC4.jpg
FESTIVAL DE BANDA DESENHADA, de Pedro Alves. DICIONÁRIO UNIVERSAL DE BANDA DESENHADA, de Leonardo De Sá.

EIS O TEXTO DA CENTRAL COMICS:

Após o anúncio geral aos VI Troféus Central Comics, apresentamos agora os nomeados às catorze categorias que doravante perfazem os prémios.

Da contagem de edições do último ano, os elementos do júri – Hugo Jesus, Daniel Maia, Sara Figueiredo Costa, Pedro Cleto, e Nuno Amado – discutiram as listagens ao longo das passadas semanas para em conjunto escolher os candidatos e trabalhos merecedores de ascender a finalistas nas diversas categorias, por edições e projectos realizados em 2007. Outrora esta fase de selecção inicial era também da responsabilidade do público leitor, aspecto relegado agora exclusivamente para o painel de júris.

Embora se tenha aumentado o número de candidatos por categoria para seis, naturalmente muitos dos bons autores e publicações de 2007 ficaram necessariamente de fora. A escolha foi renhida e vários nomes favoritos contaram-se entre os runner-up, mas acabou-se por chegar a uma selecção final representativa do melhor que se efectuou em Portugal no ano transacto. Contudo, quaisquer dúvidas ou contestação aos alinhamentos de finalistas pode ser discutido no tópico oficial dos TCC agora disponível no fórum, bem como encorajamos haja ali conversas sobre o próprio evento.

VITROFCC5.jpg

Os nomeados aos Troféus Central Comics de 2008 são os seguintes:

1.Melhor Editora
Afrontamento
Asa Edições
BDmania
Gradiva
Pedranocharco
Vitamina BD

2.Melhor Publicação Nacional
A Pior Banda do Mundo 6 – Os Arquivos do Prodigioso e do Paranormal (Devir)
Evereste (versão redux) (Asa Edições)
Já não há Maçãs no Paraíso (Mmmnnnrrrg)
O Corvo 3 – Laços de Família (Asa Edições)
Obrigado, Patrão (Asa Edições)
Rei (Asa Edições)

3.Melhor Publicação Estrangeira
A Trágica Comédia ou Comédia Trágica de Mr.Punch (Vitamina BD)
Elektra – O Regresso (BDmania)
Fagin, o Judeu (Gradiva)
HellBoy 4 – A Mão Direita do Apocalipse (Devir/G-Floy)
O Local (BDmania)
Tarzan 1 – As Pranchas Dominicais de Russ Manning (1968–1970) (Bonecos Rebeldes)

4.Melhor Cartoon Nacional
Apocalípticos e Internados (Má Criação)
Aventuras de um Motard v4 (Motorpress)
Cartoons do ano 2005 (Assírio & Alvim)
Há vida em Markl: Opus v2 (Gradiva)
O Livro das Receitas Nojentas (Guerra e Paz)
Os Portugas no Dakar v2 (Plátano Editora)

5.Melhor Cartoon Estrangeiro
Autores do World Press Cartoon (Expresso)
Há um Cabelo na minha Terra! (Gradiva)
Mafalda v4 (Teorema)
Peanuts – Obra Completa 1957-1958 (v4) (Afrontamento)
Pérolas a Porcos 4 – A Ratvolução não passa na Televisão (Bizâncio)
Zits 13 – Amuado, Aluado, Tatuado, Coitado... (Gradiva)

6.Melhor Desenho Nacional
Filipe Andrade (série BRK)
Luís Henriques (BDjornal)
Luís Louro (O Corvo v3)
Max Tilmann (Já não há Maçãs no Paraíso)
Ricardo Cabral (Evereste)
Rui Lacas (Obrigado, Patrão)

7.Melhor Desenho Estrangeiro
Carlos Meglia (Cañari v1)
Dave McKean (Mr.Punch)
Frank Miller (Elektra – O Regresso)
Gipi (O Local)
Hermann (Afrika/Jeremiah v27)
Russ Manning (Tarzan v1)

8.Melhor Argumento Nacional
Álvaro Santos (Sexo, Mentiras e Fotocópias)
Filipe Pina (série BRK)
José Carlos Fernandes (A Pior Banda do Mundo v6)
Nuno Markl (O Corvo v3)
Rui Lacas (Obrigado, Patrão)
Rui Zink (Rei)

9.Melhor Argumento Estrangeiro
Charles Schultz (Peanuts – Obra Completa)
Frank Miller (Elektra – O Regresso)
Harold Foster (Príncipe Valente v6)
Gipi (O Local)
Mike Mignola (Hellboy v4)
Neil Gaiman (Mr.Punch)

10.Melhor Livro Técnico
A Invisibilidade do género Feminino em Tintim – A Conspiração do Silêncio (Chronos)
André Carrilho – O Rosto do Alpinista (Assírio & Alvim)
Hergé, Filho de Tintim (Verbo Difusão)
José Vilhena – A Gargalhada do Resistente (Âncora)
Western na BD Portuguesa (C.M. de Moura)
World Press Cartoon Sintra – 2007 (Vários)

11.Melhor Revista
BDjornal (Pedranocharco)
Marvel Especial (Devir)
Super Pig (Kingpin)
Tom & Jerry (Zero a Oito)
Venham +5 (Bedeteca de Beja)
W.I.T.C.H. (Edimpresa)

12.Melhor Fanzine
Animais! (Imprensa Canalha)
Cabo Connection (Dr.Makete)
Efeméride (Editor: Geraldes Lino)
Eros 10 (Editor: Geraldes Lino)
O Projecto de Fecundar a Lua (Auto-edição)
[R]eject (Zarzanga Comics)

13. Melhor Curta não Editada em Álbum
A Canção do Soldado, de Paulo Monteiro (Venham +5 03)
Adeus Tristeza, de Susa Monteiro (Venham +5 04)
Cravo & Ferradura, de José Bandeira (Diário de Noticias)
Festival de Banda Desenhada, de Pedro Alves (BDjornal 18)
O Vingador Nocturno, de Álvaro Santos (BDjornal 20)
Übermenschen, de José Carlos Fernandes (Mundo Univ. 67)

14.Melhor Projecto em BD
1ª Guerrilha Laica – Jovens Talentos Gráficos
Dicionário Universal da Banda Desenhada, in BDjornal
Festival P/Artes Faro 2007
Projecto Comboio Fantasma
Revista Cais, pela Ar.Co.
Série documental VerBD, Canal 2

O Troféu Especial do Júri, como é habitual será atribuído directamente a uma personalidade eminente do meio de banda desenhada português, sendo anunciado somente na Cerimónia de Entrega dos prémios, a 21 Junho na Casa da Animação do Porto.

Até lá, a votação pública, doravante concentrada numa única fase de escrutínio, irá ter inicio muito em breve. Visitem o portal regularmente pois há mais surpresas reservadas para esta e próxima semana, e ademais artigos serão publicados elaborando sobre as presentes mudanças nos estatutos e regulamentos do TCC.

Salienta-se que, como é apanágio, ao remeterem os seus votos digitais e contribuírem para a celebração da 9ª arte nacional, os votantes habilitam-se automaticamente a um cabaz de livros, álbuns e comics, a ser sorteado na entrega dos troféus. Este é composto por mais de duas dezenas de títulos, oferecidos pela livraria Central Comics e merchandise pela Castello Lopes.

Nos próximos dias, várias iniciativas paralelas serão anunciadas, adicionando festividade ao evento, mantendo-se activas enquanto os leitores intervêm para ajudar a estender reconhecimento aos autores e editores portugueses que publicaram durante o ano transacto.

A cerimónia terá lugar na Casa da Animação (na cidade do Porto), no dia 21 de Junho, pelas 16 horas. Além da entrega de troféus, estão programadas várias exposições, apresentações de projectos e lançamentos de novos trabalhos nacionais. E tudo isto com entrada gratuita. Em breve será anunciado o programa completo.

Continuem a visitar o portal regularmente para consultrem a agenda e para saberem novidades. E até lá, preparem-se para ir às urnas – os Troféus Central Comics estão novamente on-line!

http://www.centralcomics.com/
--------------------------------------------------------------------------------------------

Opinião do autor/editor deste blogue:

Uma ou outra crítica deverá ser feita a esta listagem de nomeados, especialmente no que respeita à definição das categorias e subsequente arrumação das obras nelas. Mas refiro especialmente a categoria Melhor Revista – seria bom separar as coisas: o Venham + 5, por muita estima que tenhamos pelo projecto, não é uma revista profissional (ou seja, onde a maioria dos colaboradores são pagos, o título é registado no ICS, tem ISSN, Depósito Legal, etc…), mas um fanzine (amador, sem nenhum dos pressupostos indicados no parêntesis anterior). Acresce que o Venham + 5 deste ano além de inusitadamente volumoso (224 págs.), está excelentemente produzido, mas não deixa, por isso, de ser um fanzine. Deveria portanto ter sido incluído na respectiva categoria.

Por outro lado O Western na BD Portuguesa, de Jorge Magalhães, editado pelo Salão de Moura de 2007, também não é um livro - não tem ISBN nem Depósito Legal sequer, já para não falar no formato A4 agrafado -, mas um fanzine.

Outra falha gritante é a não existência de uma categoria Melhor Livro de Humor (Nacional e Estrangeiro), que deixa de fora uma série de livros (Sexo, Mentiras e Fotocópias, de Álvaro, por exemplo), mesmo que alguns sejam incluídos na Rúbrica Melhor Cartoon. Mas aqui também é preciso separar as coisas: segundo creio apenas um dos títulos incluídos nesta rúbrica é efectivamente uma colectânea de cartoons, os outros são obras longas, ou colectâneas de pranchas, de BD de humor.

Haverá que afinar estas coisas na próxima edição dos Troféus da Central Comics, até porque, na minha opinião, estão a tornar-se o mais representativo Prémio Nacional de BD no que respeita à abrangência de títulos, deixando os Prémios do FIBDA a milhas de distância, uma vez que nestes últimos, a selecção é feita pelos próprios editores (com o envio de 6 exemplares não pagos, para o júri do Festival fazer a sua apreciação e escolha).

NÃO DEIXEM DE VOTAR – O VOTO É ONLINE, É GRATUITO E NÃO CONTÉM NICOTINA (EMBORA OS FUMADORES TAMBÉM POSSAM VOTAR!!!)…

Publicado por jmachado em 04:52 PM | Comentários (11) | TrackBack

maio 27, 2008

O IV FESTIVAL INTERNACIONAL DE BD DE BEJA - 3

FBDBEJA2008 - c.jpg

O Festival de Beja terminou no domingo, mas há ainda fotos a mostrar aqui.
Hoje ficam as fotos do Tokyo Moon, cedidas pelo Hugo Teixeira:

FBDBEJA2008 - 6.jpg

E um inédito - desenhos e rabiscos de Geraldes Lino na toalha de mesa:

FBDBEJA2008 - 7.jpg

Publicado por jmachado em 03:49 PM | Comentários (202) | TrackBack

maio 15, 2008

O IV FESTIVAL INTERNACIONAL DE BD DE BEJA - 2

Mais fotos do IV FIBDB 2008. Dizem respeito à apresentação do projecto editorial MURMÚRIOS DAS PROFUNDEZAS e foram-nos enviadas por Rui Ramos:

IVfbdbeja13.jpg

15 dias de Festival... 15 dias de Programação Paralela...
E o Festival de BD de Beja tem para este fim de semana:

DIA 16, SEXTA-FEIRA
Das 21h00 às 21h45

Dois dedos de conversa
Banda Desenhada e Salazarismo, com Ruben de Carvalho.
Local: Bedeteca de Beja / Casa da Cultura.

Dia 17, SÁBADO
Das 10h00 às 14h00

MARATONA – 4 horas a escrever / 4 horas a desenhar (aberta a todos os interessados), com a participação do Atelier Permanente de Escrita Criativa da Casa da Cultura, coordenado por David Silva (António Bettencourt, António Toscano, Carla Ferreira, Cristina Coroa, Gabriela Pó, Inês Sousa, Miguel Pereira, Nélia Simões e Rafael Matias), e com a participação do Toupeira – Atelier de Banda Desenhada (Carlos Apolo Martins, Carlos Páscoa, Inês Freitas, Lam, Lobato, Luís Guerreiro, Maria João Careto, Paulo Monteiro, Pedro Ganchinho, Susa Monteiro, Véte, Vítor Cabral, Zé Francisco e Zé Pedro).
Local: Mercado do Livro / Galeria exterior da Casa da Cultura.

Das 20h00 às 04h00

NOITE EXTRATERRESTRE!

IVfbdbeja12.jpg

Das 20h00 às 00h00

Torneio de Play Station 2, da Exactcode.
Inscrições: a partir de 5 de Maio na Exactcode (sem limite de vagas).
Preço: 5€.
Local: Átrio da Casa da Cultura.

Das 23h00 às 23h30

Histórias extraterrestres, por Henrique Matos.
Local: Bedeteca de Beja / Casa da Cultura.

Das 00h00 às 04h00

CINEMA SURPRESA DO OUTRO MUNDO (entrada livre), com apresentação de José Carlos Oliveira.
Intervalo para cear
Local: Bedeteca de Beja / Casa da Cultura.

Consultar www.festivalbdbeja.net
CONTACTOS
Bedeteca de Beja
Edifício da Casa da Cultura
Rua Luís de Camões
7800-508 Beja
Tel.: 284313318 / 284313310
Telm.: 969660234
E-mail: bedetecadebeja@yahoo.com

O FESTIVAL
Organização: Câmara Municipal de Beja / Bedeteca de Beja Parceria: Museu Regional de Beja / Associação Para a Defesa do Património da Região Cultural de Beja Patrocínio: Região de Turismo Planície Dourada / Delta Apoios: Instituto Franco-Português / Alliance Française / Xunta de Galicia / 100 LUZ Outros apoios: Arruaça Associação Juvenil / Asociación Galega de Profesionais da Ilustración / Bedeteca de Lisboa / Conservatório Regional do Baixo Alentejo / Exactcode / Galeria do Desassossego / Goethe Institut / Maryland Institute College of Art / NCreatures / Nouvelle Librairie Française / Pousadas de Portugal / BdMania

Publicado por jmachado em 06:20 PM | Comentários (353) | TrackBack

maio 13, 2008

CONTINUA O MISTÉRIO (IV) - Por José Ruy

CONTINUA O MISTÉRIO EM QUE O MUSEU DA CIÊNCIA E DA TÉCNICA, EM COIMBRA, MANTÉM A MÁQUINA DE «O MOSQUITO» (4)

Por José Ruy

Para o catálogo da exposição onde devia figurar a já lendária Máquina de Impressão de «O Mosquito» tive a oportunidade de escrever umas linhas.
É baseado nesse texto que construo este 4º artigo. Titulei-o: «O Mosquito» era uma Máquina, ou a Máquina fazia «O Mosquito»?

Na verdade, o modo como a equipa do jornal foi criada pelo Tiotónio e da maneira como funcionava, podemos fazer essa analogia pois conseguir pôr na rua, duas vezes por semana esse conjunto de histórias, era tarefa difícil. De resto a equipa não era grande mas a sua coesão e capacidade profissional faziam dela uma verdadeira «máquina».

O Mosquito que, como todos sabem, foi forçado pelo público leitor a adquirir uma impressora própria para dar resposta ao constante aumento da tiragem, preenchia no seu tempo, tempo de guerra embora longe do nosso País, o vazio criado pela incerteza e a necessidade de «sonhar».

Esse sonho era mantido pelas descrições de viagens no mundo ainda desconhecido, pelos actos heróicos de personagens de ficção inspiradas na realidade desejada, no salto constante para um futuro que ansiávamos fosse de paz. «O Mosquito» mantinha na juventude de todas a idades a chama viva da esperança. E só quem passou por esses tempos conturbados dá valor ao significado de coisas aparentemente tão simples mas que eram na altura as mais importantes para as crianças que fomos.

Ao longo da minha vivência tenho assistido a testemunhos de pessoas que conseguiram guindar-se na vida e que mantiveram viva essa recordação de «O Mosquito» e o que representava. Dou como exemplo o Telmo Protásio que me contava, como em miúdo, pertencendo a uma família com poucos recursos, conseguia, com grandes malabarismos, poupar cinco tostões para comprar o «seu» jornal. Era, dizia ele, a única coisa que conseguia ter como propriedade sua, já que os calções ou os sapatos haviam sido já do irmão mais velho. No seu canto ficava a deliciar-se com as aventuras espectaculares, isolando-se do resto do grupo que pedinchava de longe a partilha desses sonhos.

O meu amigo Jorge Machado Dias que se realizou editando, com tanto esforço e dedicação, também um jornal, o «BD Jornal», testemunha também a euforia que se estabelece, quando no seu posto de venda, nos Festivais da especialidade, aparecem exemplares dessa mítica publicação.

Sei de Professores em Faculdades que recordam, hoje, esse fascínio de quando eram crianças, sem se envergonharem, pelo contrário, orgulhando-se disso, mostrando serem maiores pela sua humildade.

Por isso o nosso sonho mantém-se, o de ver exposta na Amadora a «Rolland» Nº de série 7116.

Na exposição que esteve patente nas instalações do CNBDI, de 29 de Outubro de 2006 a 1 de Junho de 2007, com o título «O Mosquito», Uma Máquina de Histórias esteve uma reprodução quase em tamanho natural, dessa «Rolland» Offset. O espaço destinado a estar ocupado pela peça verdadeira, ficou vazio. Foi pena que o Senhor Professor Doutor Paulo Gama Mota não tivesse aceite o convite enviado pela organização do evento para visitar a exposição, pois se tivesse estado presente sentiria o que por sua culpa não foi possível realizar.
Mas a esperança não morre. Pode ser que em breve o Senhor Director do Museu da Ciência e da Técnica tenha um rebate de consciência, um sonho fora de horas e acorde de manhã decidido a escrever-nos para franquear as portas do armazém do Carquejo.

A propósito de sonhos, vou transcrever o que publiquei no catálogo dessa exposição:

«Sonhei com um pesadelo. Conseguira entrar, talvez por artes de magia, no «Armazém do Carquejo» e secretamente abeirar-me da pobre «Rolland», desmantelada, vítima de brutal violação. Pelo corpo dos seus rolamentos e cilindros, grassavam chagas de ferrugem. Ao reconhecer-me sussurrou numa voz fraca, nada parecida com a que entoava a melodiosa canção, no multiplicar dos seus filhotes, os jornais, as revistas, os cartazes e bilhetes para touradas, as gravuras artísticas, os desenhos e as histórias, agora num lamento doloroso.
Queixou-se-me dos maus-tratos sofridos, do impedimento de estar, como merecia, conservada e exposta num Museu.

Acusou o responsável que a havia recebido para ser colocada no Museu da Ciência e da Técnica, como peça única que é, de em vez disso, a ter violentado abandonando-a num bafiento armazém, a morrer aos poucos, a encoberto dos olhos dos seus admiradores.

Disse mais, a máquina, que o seu sequestrador tentava impedir a todo o custo que vissem o estado a que a deixara chegar, para assim encobrir a sua responsabilidade na acção de lesa memória colectiva, de lesa espólio cultural e de lesa património nacional. Despertei sedento de justiça, e acompanhado por todos os que comigo partilham este pesadelo, unidos numa corrente de solidariedade, desenvolveremos uma cruzada, mesmo que utópica».

(Continua)

MNCT.jpg

A sede do Museu Nacional da Ciência e da Técnica, na Rua dos Coutinhos, em Coimbra.

Foto de Daniel Tiago, retirada com a devida vénia do Blogue
assinado por J. P. «NATUREZA NATURADA -- A propósito do Museu Nacional da Ciência e da Técnica: A Razão de Ser do Estado Actual da Educação e da Cultura em Portugal» ( três artigos editados).

Publicado por jmachado em 07:29 PM | Comentários (153) | TrackBack

maio 12, 2008

O IV FESTIVAL INTERNACIONAL DE BD DE BEJA - 1

IVfbdbeja1.jpg

Inaugurou no sábado, dia 10 de Maio, o IV Festival Internacional de BD de Beja 2008. Com a tribo da BD presente (mas com muitas faltas), o 1º fim-de-semana foi de festa, embora algum desencanto pairasse no ar, talvez devido a um tempo impróprio para o Alentejo - especialmente em Maio - em que a chuva se fez sentir de vez em quando e havia mesmo vaticínio de granizo, o que não se verificou.

A presença de de Dave McKean levou a Beja muitos bedéfilos carregados de livros para os autógrafos, o que obrigou o autor a estar quase duas horas a distribuir assinaturas, na sala da Bedeteca. Este facto fez com que o tradicional "périplo" pelos outros núcleos do Festival tivesse sido parcialmente anulado.

Aqui ficam algumas coisas:

IVfbdbeja2.jpg
O Programa.

IVfbdbeja3.jpg
SPLAFT, o Catálogo do Festival.

IVfbdbeja4.jpg
VENHAM + 5 #5, o fanzine que habitualmente acompanha editorialmente o Festival e que este ano teve a modificação mais importante, em matéria de publicações: passou para as 226 páginas, com bandas desenhadas de 58 autores! Tornando-se num belo volume, que poderá vir tornar-se numa referência no panorama da BD editada neste país.

Os 58 autores presentes neste Venham + 58:

Agonia Sampaio
Alex Uyeno
Alice
André Lemos
Ashley Dumonchelle
Carlos Apolo Martins
Carlos Páscoa
Daniel Maia
David Rubín
Diego Blanco
Diniz Conefrey
Emma Ríos / Kike Benlloch
Filipe Abranches
Filipe Andrade / Filipe Pina
Fritz
Gisela Martins
Inês Freitas
Javier Olivares
JCoelho
João Lemos
João Mascarenhas
José Abrantes
José Carlos Fernandes
José Manuel Saraiva
Ken Niimura
Kiko da Silva
Lam
Lobato
Lourenço Mutarelli
Luís Guerreiro
Maria João Careto / Daniel Ibañez
Maria João Worm
Miguel Rocha / Susana Marques
Paulo Monteiro / Kike Benlloch
Pedro Ganchinho
Pedro Leitão
Pedro Morais / Cláudia Santos Silva
Pedro Nora / Jessica Khane
Pedro Rocha Nogueira
Pepedelrey
Ricardo Ferrand
Roberto Gomes / José Carlos Fernandes
Rui Gamito
Rui Lacas
Sara Ferreira
Susa Monteiro
Teresa Câmara Pestana
Ulf K.
Véte
Vítor Cabral
Zé Francisco
Zé Pedro

Algumas fotos:

IVfbdbeja8.jpg
IVfbdbeja9.jpg
IVfbdbeja10.jpg

O resto das fotos vai chegar mais devagar, uma vez que por avaria do flash da máquina digital, foi necessário recorrer à tradicional máquina de "carregar pelo cano", pelo que aguardo a revelação e digitalização das outras fotos.

Foi também distribuído um folheto (como muitas vezes acontece no Festival da Amadora a dar conta de projectos iniciados por esse país fora e que, felizmente se começa a ver em Beja), durante a inauguração do Festival e que, por considerar relevante, passo a divulgar:

IVfbdbeja6.jpg

IVfbdbeja7.jpg

IVfbdbeja11.jpg

O folheto, dá conta do projecto Murmúrios das Profundezas (álbum de 68 páginas) do colectivo composto por Rui Ramos, Diogo Campos, Diogo Carvalho, Flávio Gonçalves, Luís Belerique, Phermad, Ricardo Reis e Vanessa Bettencourt. O projecto foi apresentado na Bedeteca, no domingo, dia 11, pelo Rui Ramos.
Pode ser mais esclarecido em http://murmuriosdasprofundezas.blogspot.com/

No domingo foi também apresentada a nova editora de BD. a Qual Albatroz, que vai editar o Menino Triste, de João Mascarenhas e um livro de Gastão Travado, de que daremos notícias aqui no Kuentro e no BDjornal #23.

Na Cafetaria da Casa da Cultura podia ainda ser vista uma exposição do Diário Gráfico de Carlos Apolo Martins, um dos autores que integram o Atelier Toupeira.

IVfbdbeja5.jpg

Publicado por jmachado em 08:00 PM | Comentários (46) | TrackBack