abril 28, 2007

VENCEDORES DOS V TROFÉUS CENTRAL COMICS 2007

trofeuebdj.jpg

Por causa da montagem do BDjornal #18, só hoje é possível postar aqui os Vencedores dos V Troféus Central Comics 2007, cuja entrega ocorreu no passado sábado, dia 21, na Casa da Animação do Porto.

O BDjornal recebeu pelo 2º ano consecutivo o Troféu para a Melhor Publicação em Bancas, com quase 50% das votações, mandando para as urtigas a concorrência.

Note-se que este ano, estavam a concurso também conteúdos do próprio BDjornal, com as BDs BRK, de Filipe Pina & Filipe Andrade e UM OLHAR, de Hugo Teixeira.

Também em votação esteve MANUAL DE POSIÇÕES PARA LABREGOS, de Álvaro (Edit. Pedranocharco), que ficou em 2º lugar na respectiva categoria.

V TROFÉUS CENTRAL COMICS - 2007

MELHOR EDITORA
Kingpin Comics

Vitamina BD
Edições Asa

MELHOR ÁLBUM NACIONAL
Salazar, agora na hora da sua morte (Parceria A. M. Pereira)

Black Box Stories 1 – Tratado de Umbrografia (Edições Devir)
Solo (Polvo)

MELHOR ARGUMENTO NACIONAL
Fernando Dordio Campos (C.A.O.S. Livro1)

José Carlos Fernandes (Black Box Stories 1 – Tratado de Umbrografia)
João Paulo Cotrim (Salazar, agora na hora da sua morte)

MELHOR DESENHO NACIONAL
Miguel Rocha (Salazar, agora na hora da sua morte)

Filipe de Sousa Teixeira (C.A.O.S. Livro1)
Filipe Andrade (BRK)

MELHOR ÁLBUM ESTRANGEIRO
A Cidade de Vidro (Edições Asa)

Orquídea Negra (G-Gloy Studios/Edições Devir)
WE3 Arnimais (Edições Devir)

MELHOR ARGUMENTO ESTRANGEIRO
Neil Gaiman (Orquídea Negra)

Grant Morrison (WE3 – Arnimais)
Paul Auster e Karasick (A Cidade de Vidro)

MELHOR DESENHO ESTRANGEIRO
Dave McKean (Orquídea Negra)

Terry Dodson (Homem-Aranha Gata Negra: O Mal que os Homens Fazem)
Tim Sale (Demolidor Amarelo)

MELHOR ÁLBUM DE TIRA OU PRANCHA CÓMICA/
CARTOON/CARICATURA ESTRANGEIRA
Obra Completa dos Peanuts Vol.1 (Charles Shultz, Afrontamento)

Mafalda, Vol.1 (Quino, Editorial Teorema)
O Amor é um Inferno (Matt Groening, Gradiva)

MELHOR ÁLBUM DE TIRA OU PRANCHA CÓMICA/
CARTOON/CARICATURA NACIONAL
Os Compadres (Sergei, Polvo)

Manual de Posições para Labregos (Álvaro, Pedranocharco)
Caretas do Mundial (Luís M. Pereira, Carlos Laranjeira,
Pedro R. Ferreira e Ricardo Galvão, Primebooks)

MELHOR BD CURTA/CARTOON/
TIRA CÓMICA NACIONAL NÃO PUBLICADOS EM ÁLBUM
Kull: O Fim (Hugo Jesus e Nuno Sarabando, Tertúlia BDzine #109)

Histórias da Noite (Pedro Amorim, Venham + 5)
Red Sonja: As duas Torres (Daniel Maia e P. Figueira, Tertúlia BDzine #106)
Um Olhar (Hugo Teixeira, BDjornal #16)

MELHOR EDIÇÃO DE BANCAS
BDjornal (Pedranocharco)

C.A.O.S. LIVRO 1 (kINGPINcOMICS)
HL Comics 2 (Velvet Underground)
Venham + 5 (Bedeteca de Beja)
W.I.T.C.H. (Edimpresa)

MELHOR FANZINE
Sketchbook 3 (Dir.: Ricardo Cardoso)

24H Volta a Portugal em BD (Dir.: Phermad)
Tertúlia BDzine (Dir.: Geraldes Lino)

MELHOR INVESTIGAÇÃO/ESPECIALIZADA
Catálogo F.I.B.D.A. 2006 (CNBDI)

Foster e Val – A Biografia de Harald Foster (Livros de Papel)
108 Termos Essenciais do Japão Contemporâneo (ClubOtaku)

trofeuscc1.jpg

trofeuscc2.jpg

Publicado por jmachado em 07:58 PM | Comentários (63) | TrackBack

abril 26, 2007

CONCURSOS HUMOR/CARICATURAS, ETC... - REGULAMENTOS

Pobres01.jpg

XI SALÃO LUSO-GALAICO DE CARICATURA VILA REAL /2007

1 Aberto à participação de todos os artistas gráficos com humor, residentes em Portugal e na Galiza.
2. O tema lançado a desafio aos humoristas, este ano, é "MIGUEL TORGA, OU A POÉTICA DA VIDA" (já que este ano é o centenário do genial poeta). Todos os participantes devem enviar UMA CARICATURA DE TORGA, ou um trabalho sobre algum aspecto da sua vida ou da sua obra. Para além deste trabalho obrigatório, podem mandar caricaturas de outros poetas, ou alegorias humorísticas ao lado poético da vida.
3. Cada artista pode enviar até 4 trabalhos, em preto e branco formato não superior a A3 (de preferência A4), aberto a todas as técnicas e estilos, (os trabalhos feitos a computador, para alem do seu envio em suporte informático - CD ou disquete a 300 dpis Jpeg – devem ter também um prints em A4, assinados à mão e numerados 1/1) como caricatura, cartoon, desenho de humor, tira, prancha de bd (história num prancha única)... devendo estes vir identificados no verso com nome e morada, e-mail, telefone e nº contribuinte.
4. Os trabalhos serão julgados por um júri constituído por: um representante da Câmara Municipal de Vila Real; do Governo Civil de Vila Real, da Delegação Norte da Secretaria de Estado da Cultura, António Manuel Pires Cabral e Elísio Amaral Neves Assessores do Pelouro da Cultura, o Presidente da Humorgrafe e um artista plástico convidado, sendo outorgados os seguintes Prémios:
* 1º Prémio do XI Salão Vila Real / 2007 (no valor de € 2.000)
* 2º Prémio do XI Salão Vila Real / 2007 (no valor de € 1.500)
* 3º Prémio do XI Salão Vila Real / 2007 (no valor de € 1.000)
Menções Honrosas (no valor de € 500)
5. O júri outorga-se o direito de não expor aqueles trabalhos que não atinjam a qualidade mínima exigida.
6. Os trabalhos premiados ficam automaticamente adquiridos pela organização (CMVR). Todos os outros serão devolvidos após a exposição.
7. Os direitos de reprodução são propriedade da organização, logo que seja para promoção deste Salão, e discutidos pontualmente com os autores, no caso de outras utilizações.
8. Os trabalhos devem ser enviados até 28 de Abril de 2007, para:

XI Salão Luso-Galaico de Caricatura / 2007
Câmara Municipal de Vila Real
Sector de Cultura
5000 Vila Real – Portugal

9. O XI Salão Luso-Galaico de Caricatura de Vila Real / 2007, realiza-se na Galeria de Arte do Teatro Municipal de de Vila Real de 28 de Maio a 30 de Junho. A entrega dos Prémios realiza-se na noite de 30 de Junho com a Festa da Caricatura. A exposição, será apresentada posteriormente em Ourense (como nos anos anteriores)

Uma Organização: CÂMARA MUNICIPAL DE VILA REAL
Uma Produção: HUMORGRAFE
Director do Salão: Dr. Osvaldo Macedo de Sousa
Mais informações: humorgrafe_oms@yahoo.com

index_02.gif

PRÉMIO STUART DE DESENHO DE IMPRENSA

El Corte Inglés institui, em associação com a Casa de Imprensa, o Prémio Stuart de Desenho de Imprensa, visando homenagear um dos mais célebres ilustradores de sempre e premiar a excelência nacional contemporânea.
1. O PRÉMIO STUART DE DESENHO DE IMPRENSA EL CORTE INGLÉS/CASA DA IMPRENSA está aberto à participação de todos os artistas gráficos residentes em Portugal com trabalhos de ilustração, tira cómica e cartoon/caricatura publicados no período compreendido entre 21 de Abril de 2006 e 20 de Abril de 2007 inclusive, em todas as publicações periódicas de âmbito nacional ou regional, com excepção das electrónicas.
2. O PRÉMIO STUART é constituído por três prémios a atribuir, em separado, nas áreas da ilustração, tira cómica e cartoon/caricatura. O Grande Prémio, no valor de 10 000€, será atribuído àquele que se distinga de entre os três finalistas. Os dois restantes terão o valor pecuniário de 5 000 € cada.
3. Cada artista pode enviar até 10 originais, acompanhados por um exemplar da página completa da publicação onde aqueles trabalhos foram editados e um curriculum breve. Os originais deverão ser identificados no verso com título, assinatura, periódico e respectiva data de publicação além indicação obrigatória da área em que se inscrevem: ilustração, tira cómica ou cartoon/caricatura. Os trabalhos digitais deverão ser apresentados sob forma de uma impressão de qualidade autenticada pelo autor.
4. O conjunto dos trabalhos será avaliado por um júri composto pelo vencedor da edição anterior, André Carrilho, um convidado especial e dois representantes do El Corte Inglés e um da Casa da Imprensa. O vencedor do Grande Prémio compromete-se automaticamente a fazer parte do júri do ano seguinte.
5. Os membros do júri tem a prerrogativa de indicar para apreciação dos seus pares trabalhos e autores que não se tenham inscrito, desde que estejam cumpridas as regras do artigo 1.
6. Os trabalhos premiados serão considerados propriedade do El Corte Inglés.
7. Uma selecção dos trabalhos será incluída no website «Prémio Stuart» e objecto de exposição itinerante, considerando-se que a apresentação a concurso cede automaticamente aos organizadores o direito de uso em ambas as circunstâncias. Para tanto, deverão os concorrentes enviar uma versão em formato digital dos trabalhos a concurso.
8. Os trabalhos a concurso deverão ser enviados até 02 de Maio de 2007 (data do carimbo dos CTT) para: El Corte Inglés – Grandes Armazéns, Prémio Stuart de Desenho de Imprensa, Departamento de Relações Externas, Av.ª António Augusto de Aguiar, n.º 31, 1069 – 413, Lisboa.
9. Não haverá recurso das decisões do júri.

CONCORRAM!!!

Publicado por jmachado em 05:35 PM | Comentários (72) | TrackBack

abril 18, 2007

V Troféus Central Comics – Edição 2007

cartazCCC2.jpg

Realizar-se-á, no próximo dia 21 de Abril, a entrega dos V Troféus Central Comics. A cerimónia terá lugar na Casa da Animação do Porto, pelas 16h, prolongando-se pela tarde, com várias apresentações de projectos de BD, e pela noite, com uma sessão especial de cinema!

Os vencedores das 13 categorias estão apurados e o Prémio Especial do Júri decidido. Serão revelados, desta forma, num evento de peso!
Serão várias as apresentações de projectos a decorrer dia 21, de entre as quais destacamos: Pedranocharco, Daniel Maia, Sétima Dimensão, Hugo Jesus e Manuel Morgado.
Relativamente às exposições patentes nesse evento, preparem-se para grandes surpresas por parte de: Rui Gamito (Fato de Macaco), Hugo Teixeira (Um Olhar), Rui Ricardo, Phermad (Fragmentos) e Exposição Colectiva de El Pep. A mostra estará em exposição até 17 de Maio.
Às 21h30 apresentamos, em estreia nacional (cortesia da Castello Lopes), o filme “Pathfinder”, de Marcus Nispel (cuja estreia nacional está marcada apenas para dia 10 de Maio).

Os convites para a ante-estreia do filme serão gratuitos e poderão ser levantados durante a tarde de dia 21 de Abril, na Casa da Animação do Porto, até limite dos lugares disponíveis.
A entrada para qualquer ponto do evento é gratuita, durante todo o dia 21 de Abril.
Poderão consultar a programação detalhada para esta cerimónia através do portal Central Comics, ou no local.
Contamos com a vossa presença!

Programa:

15h – Abertura de Portas com a exposição de Rui Gamito, Hugo Teixeira, Phermad, Rui Ricardo e Exposição Colectiva de El Pep

16h – Apresentações de projectos

I. Projecto Allgirls (Daniel Maia)
II. Projecto BDVoyeur (Pedranocharco)
III. BD: Aeternu (Hugo Jesus e Manuel Morgado)
IV. BD: OCULUS ANIMI INDEX - Os olhos são a janela da alma (Sétima Dimensão)

16h30 – Cerimónia de entrega dos Troféus Central Comics

21h30 – Ante-estreia nacional do filme “Pathfinder”

Casa da Animação
Rua Júlio Dinis - Edifício Les Palaces – nº 208 e 210
Porto

Horário após dia 21 de Abril
de Segunda a Sexta, das 11h às 13h e das 15h às 17h

O portal Central Comics (www.centralcomics.com) tem como missão a divulgação da banda desenhada e de tudo o que se relacione com a nona arte em geral. O seu conteúdo é constituído pelas secções de: Notícias (que de uma forma abrangente cobre todas as actividades sobre banda desenhada, da mais comercial à mais alternativa, bem como de todos os eventos relacionados com a área); Entrevistas (a autores nacionais e estrangeiros e a personalidades ligadas ao meio da banda desenhada); Crónicas (de colaboradores com um bom grau de conhecimento relativo ao assunto); Críticas (aos mais variados álbuns de banda desenhada de edição portuguesa) e Fórum (local de debate), muito concorrido pelos já mais de 1400 utilizadores registados). Este portal alberga ainda diversas possibilidades para os visitantes e utilizadores, como por exemplo a compra de livros e artigos relacionados com a banda desenhada.
Os Troféus Central Comics, sendo organizados pelo portal Central Comics, foram idealizados como sendo uma forma de reconhecer os autores e editores portugueses que fizeram ou lançaram banda desenhada na nossa língua durante o ano transacto. As cerimónias de entrega destes prémios contam sempre com a presença de diversos autores que se disponibilizam para sessões de autógrafos, exposições, apresentações, etc.
Estes troféus, ao contrário de outros já existentes, são os únicos prémios de banda desenhada nacional a advirem do escrutínio do público leitor. Assim, todos podem contribuir para esta celebração.

Foram realizados até à data, 4 edições deste evento, em 2002 (na Fnac do NorteShopping, em Matosinhos); em 2003 (durante o BDFórum, que decorreu no Fórum Telecom, em Lisboa); em 2005 (na Fnac da Rua de Santa Catarina, no Porto) e em 2006 (na Loja Central Comics, Porto).

Publicado por jmachado em 05:37 PM | Comentários (2) | TrackBack

LACAMENTO DE NOVO LIVRO DE PEDRO LEITAO

Lançamento de novo livro de Pedro Leitão
A PRAIA DA ROCHA AMARELA
(Livro nº 3 da colecção As aventuras de Zé Leitão e Maria Cavalinho)
Texto e desenhos de PEDRO LEITÃO
Edições GAILIVRO

Biblioteca Municipal de Oeiras
Sábado, dia 5 de Maio, às 15:30

Programa da sessão de apresentação:

1- Através de uma projecção em "power-point", o autor faz a apresentação
da obra, tendo também para mostrar os cadernos de esboços e as pranchas
originais.

2- Venda de livros e sessão de autógrafos.

capaPLEITAO.jpg

Publicado por jmachado em 05:32 PM | Comentários (0) | TrackBack

abril 16, 2007

OS 10 ANOS DA CHILI COM CARNE

CCC1.jpg

Comemora este ano 10 anos de existência a associação chili com carne (CCC), nomeadamente no dia 21 de Abril – data que marca o reconhecimento notarial.

A CCC é uma organização de jovens artistas sem fins lucrativos cujo funcionamento assenta na cooperação livre e espontânea dos seus associados.
Desde a sua fundação que temos promovido e desenvolvido as mais diversas realizações no campo das artes, que se têm concretizado, entre outros aspectos, na organização de diversas exposições e publicações. Temos entendido como sendo prioritária uma linha de actuação que privilegie a independência do autor, entendida como liberdade e autonomia de critérios do produtor de objectos artísticos, acentuando a diversidade de formas e conteúdos que caracterizam a expressão artística e cultural contemporânea.

Os elementos da CCC propuseram-se fazer um zine fotocopiado – invés de edições luxuosas como a CCC tem editado desde 2000 - em formato A5 e todo desenhado e escrito à mão no emprego do talento manual. Não se trata de um exercício de nostalgia mas antes uma forma de promover a materialização de objectos artísticos urgentes com poucos recursos e com exposição pública garantida pela festa de comemoração dos 10 anos da CCC que promove no dia 21 de Abril no Clube Rio de Janeiro, no Bairro Alto. No meio de uma verdadeira revolução digital dos meios de comunicação, a CCC volta a 1997 para relembrar os media DIY que usou para combater a apatia desses tempos.

Na festa-concerto teremos um cartaz eclético de bandas dissidentes como Lacraus (Panque Roque do Senhor – Flor Caveira), shhh… vs Sci-Fi Industries (Breakbeat – Thisco), Lobster (Noise Rock Dinamic Duo) e Old Fucking God (Drunk Metal). À entrada será oferecido o zine com trabalhos inéditos de bd e desenho de autores nacionais e estrangeiros marcaram a actividade da associação como Mike Diana (polémico autor norte-americano) ou Nunsky que regressa à actividade… 10 anos depois do Mesinha de Cabeceira #13!

Durante o resto do ano completaremos as 10 acções, estejam atentos.

ENTRETANTO FOI LANÇADO O MESINHA DE CABECEIRA POPULAR #200,
que se pode considerar um edição de luxo - não porque seja encadernada, ou impressa em papel couchê - mas pela qualidade dos autores que publica.

Brian Chippendale, João Maio Pinto, Jacob Klemencic, Joana Figueiredo, Claudio Parentela, Pedro Zamith, Eric Braun, Filipe Abranches, André Lemos, Stijn Gisquiere, Marte & J.Coelho, Jano, Katharina Hausladen & Dice Industries, Monia Nilsen, Nuno Duarte & Pepedelrey, João Chambel, S.G. & Sérgio Feitor

MESINH1.jpg
Capa de Claudio Parentela

MESINH2.jpg
Nuno Duarte & Pepedelrey

MESINH3.jpg
Marte & J. Coelho

MESINH4b.jpg
Pedro Zamith

www.chilicomcarne.com

Publicado por jmachado em 09:19 PM | Comentários (7) | TrackBack

abril 12, 2007

«UMA MAQUINA DE HISTORIAS» E DE SONHOS 4 - por José Ruy

MOSQ4.jpg

Porque razão esta máquina emblemática, símbolo do bom jornalismo infanto-juvenil português, que nasceu na Amadora e esteve na criação do grande Festival Internacional de Banda Desenhada desta Cidade que se mantém há 18 anos, foi ostracisada, e envolvida em nebuloso mistério.

São de minha autoria as duas únicas fotografias da Rolland de «O Mosquito», na década de 1950. A imagem lateral que aparece no «Almanaque de O Mosquito e da Formiga de 1945» foi extraída do catálogo de fábrica. E que pena tenho hoje de não lhe ter tirado mais fotos.

Nos finais do Século XX e depois de muitas pesquisas deram-me nota de que a Máquina de Histórias, tendo deixado de ter utilidade prática na sua função de imprimir pontos de exame, devido ao avanço tecnológico, mas em consideração ao seu valor histórico, teria sido transferida para Coimbra, para um Museu.

Tive uma grande alegria. Era um destino nobre e justo para uma máquina de offset que tantas histórias havia imprimido, que tantos sonhos conseguira forjar em várias gerações de leitores. Quantos de nós não desenvolvemos a leitura com as publicações por ela impressas. Era agora a vez da velha Rolland sonhar, em exposição no Museu, para quantos a quisessem admirar.

Ansiosamente, partilhei com amigos e admiradores dessa importante peça, do sonho de a podermos observar e fotografar mais uma vez, registando assim a sua imagem para os nossos arquivos e para o do Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem instalado na Amadora, onde se guardam as melhores relíquias de «O Mosquito».
Após aturada pesquisa, soube-se que a Rolland estava instalada no «Museu da Ciência e da Técnica» na Rua dos Coutinhos Nº23, em Coimbra.

Contactado o Museu, deram-nos conhecimento de que a referida máquina encontrava-se «ainda» num armazém (Armazém da Carqueja) e que não estava patente ao público.
Depois de porfiados e difíceis contactos, pois nem sempre se encontrava a pessoa certa, ou não tínhamos resposta às mensagens deixadas, combinou-se uma ida a Coimbra, ao Armazém. Do Museu disseram não saberem bem de que máquina falávamos, pois tinham recebido muitas outras peças de várias proveniências. Por isso a minha presença era indispensável para a localizar, o que me será fácil, mesmo estando ela no meio de muitas outras máquinas. No entanto, estava interdita a hipótese de a fotografarmos. Com surpresa, aceitou-se a imposição. Pelo menos íamos vê-la.
Na véspera de partirmos, o Museu cancelou essa visita, por indisponibilidade da pessoa que nos iria acompanhar, pois sem ela não nos era possível entrar no Armazém da Carqueja.

Muitas tentativas se seguiram, cada vez com mais dificuldade de comunicação, vindo de Coimbra sempre a justificação habitual de indisponibilidade.
Foi então que tomei consciência de que algo de grave, de muito grave estava a acontecer com a Máquina de Histórias e de Sonhos. Afinal não se encontrava num Museu, nem num Armazém à espera de espaço para poder ser exposta. A imposição para que não fosse fotografada e o impedimento constante para a vermos, levou-me a considerar, aterrado, se após ter estado a trabalhar em boas condições na oficina do Ministério da Educação no Algueirão Mem Martins, a máquina que fora enviada para o Museu da Ciência e da Técnica, não teria sido desviada do seu destino e ido parar a um local menos digno.

Propus-me dar voz à Máquina de Histórias, e a esta voz junta-se o clamor de um numeroso grupo de admiradores de «O Mosquito», ligados a muitas áreas da cultura nacional, como jornalistas, arquitectos, actores, professores, médicos, escritores, desenhadores, escultores, pintores e advogados.
E é pela opinião dos advogados, que se levantou uma questão bastante pertinente:
Será lícita a presença da máquina (ou o que resta dela) no armazém do Museu da Ciência e da Técnica em Coimbra e nas condições misteriosas que a envolvem?

Se deixassem essa Rolland expressar-se livremente, que histórias, para além das que imprimiu, narraria? Que queixas nos faria de maus-tratos? Que acusações e a quem as dirigiria?

Debrucemo-nos então na questão levantada pelos advogados: se haverá legitimidade do Museu de Coimbra em estar de posse da Rolland offset do jornal infanto-juvenil «O Mosquito».

(continua)

maquina5.jpg

NA PRÓXIMA SEMANA O 5º E ÚLTIMO "POST" DESTA INTERVENÇÃO DE JOSÉ RUY NO KUENTRO.

Publicado por jmachado em 03:21 AM | Comentários (0) | TrackBack

abril 09, 2007

FEIRA LAICA EM OEIRAS

A Feira Laica no mercado de Oeiras decorre nos dias 14 e 15 de Abril, das 12h às 22h, com a sua «habitual oferta de comércio cultural justo (artesanato urbano, fanzines, discos, livros, ilustração...) acompanhada de comes e bebes e muita animação».

As editoras independentes que estarão representadas são: Associação Chili Com Carne + MMMNNNRRRG + An Others Thinking + Edições Mortas, Imprensa Canalha, Opuntia Books, Thisco + Base, Primeiro Exemplar, Teatro Não, El Prints, Mike Goes West, revista "Bíblia", F.Leote, Groovie Records, zine "Succedâneo", jornal "Coice de Mula", Useless Poorductions + Lovers & Lollypops, zine "Fantástico Michael" + Marietta Filmproduktion e revista "A Peste".

Serão lançados os seguintes zines:
- "Family Portraits", de André Lemos (Opuntia Books);
- "O Hábito faz o Monstro" #11 ( El Prints);
- "Suicide Reporté", de Sylvain Gérand (Opuntia Books).

|+|+| DIA 14:
a partir das 15h, música com os djs Themoteo Suspiro e convidados + mauamor.
À noite a a partir das 21h concerto com M-Pex + beeper

|+|+| DIA 15:
Durante a tarde, dj sets com Giosé Benvenuto a.k.a Jolly_k_Joker + Luís Van Seixas.

...
A Laica já está preparada para mais duas viagens em Junho: uma no Seixal (dias 1 a 3 de Junho durante o Festival Portugal a Rufar) e outra na Bedeteca de Lisboa (entre 23 e 24) como já tem vindo a ser hábito nos últimos dois anos.

FLAICA7.jpg

Publicado por jmachado em 06:21 PM | Comentários (16) | TrackBack

abril 04, 2007

CCLXX TERTULIA BD DE LISBOA - ANO XXI

tertabr1.jpg

tertabr2.jpg

tertabr3.jpg

tertabr4.jpg
O TERTÚLIA BDzine com banda desenhada de Teresa Câmara Pestana.

tertabr5.jpg
tertabr6.jpg

Publicado por jmachado em 06:32 PM | Comentários (59) | TrackBack

abril 02, 2007

«UMA MAQUINA DE HISTORIAS» E DE SONHOS 3 - por José Ruy

MOSQUITO3b.jpg

Ao terminar o meu texto anterior, deixei no ar esta frase: Uma máquina de histórias sequestrada. Parece o título de uma das novelas surgidas da imaginação fértil de um Peter Tenerife (José Padiña) ou Raul Correia no jornal «O Mosquito».
No entanto, poderá ser essa uma triste realidade, em face do que parece estar a acontecer a essa peça, ímpar no nosso País.
Para ajudar a esclarecer essa situação, vou reconstituir o percurso de trabalho da «Rolland» modelo de 1939, enquanto peça fundamental das «Edições O Mosquito».
Para além de imprimir a célebre publicação, que conseguiu atingir com pleno êxito o objectivo de educar divertindo várias gerações de leitores, não só em Portugal como em Angola, Moçambique e noutros países, deu à estampa muitas outras publicações como passo a referir:
«Colecção de Aventuras», um jornal de pequeno formato, com histórias e aventuras, como o nome indica, e onde se estreou o grande Artista E. T. Coelho que viria a valorizar com as suas belas ilustrações, o próprio «Mosquito».
«Engenhocas e Coisas Práticas», uma revista de «faça você mesmo», com sugestões para os leitores construírem pequenas estantes, um cavalo de baloiço para o irmão mais novo ou outros objectos úteis, cuja execução ajudava a desenvolver as aptidões dos jovens.
«Mosquito Magazine», um semanário com charadas e outros passatempos, contos, anedotas e ilustrações, cujas capas eram originais do Stuart Carvalhais, que as desenhava directamente no zinco litográfico.
«Filmagem», uma revista com actualidades cinematográficas, onde também o Stuart colaborava com umas tiras humorísticas.
«Riso Mundial», revista humorística muito ilustrada.
«Olá! Magazine», de pequeno formato, desenvolvia notícias de espectáculos, curiosidades e artigos tipo almanaque.
«A Volta ao Mundo», o romance do Conde Henri de la Vaulx e de Arnould Galopin, publicado em fascículos, com algumas ilustrações.
«O Gafanhoto», um bissemanário a que o Tiotónio chamava de «o jornal mais pequeno do mundo», com aventuras ilustradas.
«Camarada», mais um jornal para a juventude, com contos, novelas e banda desenhada.
Mas esta incansável máquina de impressão ainda produziu álbuns com histórias completas como: «Guerra no País dos Insectos»; «Viagem Extraordinária do Cão Top»; «Ponto Negro, Cavaleiro Andante»; «Formidáveis Aventuras de Mick, Mock, Muck»; «Novas Aventuras de Zé Pacóvio & Grilinho»; «Almanaque O Mosquito e a Formiga 1945»; as capas e páginas de cor do «Almanaque do Alentejo 1948» e do «Almanaque do Algarve 1948»; um livro desenhado por E. T. Coelho «O Rei Triste»; «Infante D. Henrique» em Banda Desenhada; dois álbuns «Os Grandes Portugueses».
E mais: um livro de pequenos quadros desenhados directamente na chapa offset, de autoria de Cipriano Dourado; um cartaz litografado para a Companhia Colonial de Navegação representando o paquete «Santa Maria»; um cartaz anunciando o filme português «A Canção de Lisboa»; um álbum de lâminas com gravuras no formato original, de «Albrecht Dürer»; uma colecção de postais de correio desenhados por Fernandes Silva, entre muitos outros trabalhos.
Depois de extinta a Empresa «Edições O Mosquito», e após mirabolantes peripécias, a dinâmica Máquina de Histórias foi imprimir pontos de exame para o Ministério da Educação.
No fundo, esteve sempre a produzir material de carácter didáctico destinado à juventude, embora em certos casos sob um aspecto lúdico.
Mas a razão porque ninguém tem podido ver essa «Rolland» é ainda um mistério. Estará de castigo por ter imprimido tudo isto?
Vamos ver.
(continua)

maquina4.jpg

Publicado por jmachado em 04:31 PM | Comentários (79) | TrackBack