Clube Pinhole  
quem somos |  história |  como fazer |  como adaptar |  exemplos |  galeria |  eventos |  ligações

  • Como adaptar uma câmara fotográfica - 1
     2  3  

As variadas embalagens com que lidamos no dia-a-dia de um consumo tentador, são também um fornecedor extenso de elementos que poderemos utilizar para a construção da nossa câmara estenopeica, vulgo PINHOLE.
Da caixa de cartão em que o par de sapatos vem acondicionado, à lata de biscoitos, passando pela embalagem que acondiciona um perfume ou um simples filme de 35mm tudo é passível de ser utilizado para construirmos a pinhole da nossa preferência.
Mas, se uma proposta pouco sofisticada não coincide com a nossa opção, partirmos para algo mais ousado, por exemplo, a adaptação de uma vulgar camâra de 35mm ou uma câmara de grande-formato.
Assim, pela aplicação de tampas com furos de diâmetro reduzido, em substituição da óptica da câmara que utilizamos normalmemte, é possivel utilizarmos uma pinhole detentora de alguma evolução técnica, como seja a existência de um obturador de fácil controlo.

As fotografias que vos mostro são duas possibilidades de adaptação do material existente no mercado que conseguimos transformar em "sofisticadas" pinholes. E, se a MAMIYA 645 permite medir a intensidade de luz e variar a velocidade de obturação, é a possibilidade de enquadramento o que mais facilita o nosso trabalho.

Quanto à Horseman 45FA, para lá da possibilidade de observar o enquadramento e da variedade de tempos de obturação dísponivel, valorizamos a possibilidade de variação da Distância Focal. Assim ao variarmos a extensão do fole surge a possibilidade de optarmos pela Distância Focal que mais se adapta ao resultado final por nós desejado. A possibilidade de bascular os bastidores frontal e trazeiro permite-nos corrigir a perspectiva.


quem somos |  história |  como fazer |  como adaptar |  exemplos |  galeria |  eventos |  ligações

©   2003  António Leal e José Antunes