Logo da Newsletter da Rede de Bibliotecas Escolares

newsletter

Nº 2 - Março - 2007

Mestrado em Gestão da Informação e Bibliotecas Escolares
reflectir e investigar para melhor agir

 

Glória Bastos *

 

A

Universidade Aberta, enquanto instituição pública de ensino superior vocacionada para a educação a distância, tem procurado corresponder aos desafios formativos colocados pela sociedade portuguesa em consonância com a aplicação de práticas inovadoras em termos de ensino-aprendizagem. Neste campo, importa referir que as novas tecnologias têm vindo a assumir um papel importante na relação pedagógica, através, sobretudo, da implementação de sistemas de e-learning. Esta modalidade de ensino permite que estudantes oriundos de vários pontos geográficos tenham acesso a uma formação que seja do seu interesse, já que não exige a sua presença física na universidade. Possibilita ainda a gestão autónoma da aprendizagem e conciliar a frequência de um curso desta natureza com a vida pessoal e profissional. 

 

Imagem da plataforma de e-learning da Universidade Aberta dedicada aos cursos sobre Bibliotecas Escolares

 

É, pois, neste contexto que surge o curso de Especialização Pós-Graduada (2003) e o de Mestrado em Gestão da Informação e Bibliotecas Escolares (2004; cf. http://www.univ-ab.pt/cursos/mestrados/mgibe/index.html), cruzando duas áreas científicas: as ciências da educação (área predominantes) com as ciências da informação e da documentação. A criação de uma pós-graduação com este âmbito surgiu num momento em que o acesso à informação e ao conhecimento constituem desafios que se impõem à sociedade em geral e, em particular, ao contexto educativo. Na escola actual, a biblioteca escolar emerge como um elemento central para a difusão e consolidação do conhecimento, constituindo, ademais, um elemento central no processo educativo. Os seus objectivos essenciais, como se encontram expressos em manifestos internacionais (cf., por exemplo, School Library Guidelines, IFLA/UNESCO, 2002), abrangem domínios como o desenvolvimento da literacia e das competências de informação, apoio ao ensino e à aprendizagem, desenvolvimento da consciência cultural e social. Para cumprir estes propósitos, é fundamental a existência de profissionais habilitados para o exercício de funções coordenadoras em bibliotecas escolares e centros de recursos educativos, nomeadamente a nível de organização, planeamento e gestão.

 

O curso de pós-graduação procura, portanto, corresponder a dois importantes impulsos identificados: a necessidade institucional em garantir um funcionamento adequado da biblioteca escolar e o interesse manifestado por um número significativo de pessoas (em particular professores) pela aquisição de competências específicas neste domínio. Em termos curriculares, a existência de temas transversais ao lado de domínios mais específicos possibilita o desenvolvimento de competências que permitem compreender a complexidade do campo de estudos analisado e aplicar novos conhecimentos em contextos concretos de actuação.

 

Tendo sido concebido num momento em que as discussões em redor do chamado processo de Bolonha já estavam a decorrer, desde logo se procurou corresponder aos aspectos mais relevantes que são sugeridos pelos princípios de organização curricular que podemos encontrar em diversos documentos que foram sendo divulgados. Um outro aspecto que presidiu à forma como o curso de pós-graduaçãoo foi concebido e que se projecta na maneira como tem funcionado, refere-se concretamente às perspectivas que é preciso ter em relação ao desenvolvimento do trabalho ao longo do curso e na sua projecção para além desse período. Neste sentido, e tendo presente que se trata de curso de 2.º ciclo, privilegiou-se o número de horas de estudo e de investigação a desenvolver de forma autónoma, cujo acompanhamento é efectuado através da comunicação desenvolvida na plataforma de e-learning. A plataforma de e-learning como recurso tecnológico e pedagogicamente adaptado ao ensino a distância, já testado e presentemente utilizado na Universidade Aberta, contextualiza a relação professor/estudantes e estudantes/estudantes, proporcionando um ambiente que apoia e suscita a aprendizagem de uma forma autónoma e participante.

 

Os factores enunciados conduziram a uma concepção de curso que se fundamenta em quatro grandes paradigmas: (1) permanente actualização de conhecimentos com relevância para a área da Biblioteca escolar/ Centro de recursos educativos; (2) desenvolvimento de competências de reflexão, concepção, comunicação e avaliação; (3) cultivo de uma atitude de questionamento adequado que permita a abertura à investigação, e (4) sentido de aprendizagem ao longo da vida, caracterizado pela continuidade no aprofundamento.

 

Podemos considerar que o mestre em Gestão da Informação e Bibliotecas Escolares deverá estar atento às transformações e solicitações do tecido social, em geral, e escolar, em particular, à evolução das tecnologias da informação e comunicação, desenvolvendo acções práticas e de pesquisa que visem transformar a biblioteca escolar num verdadeiro espaço educativo.

 

* Professora Auxiliar na Universidade Aberta Departamento de Ciências da Educação, Coordenadora do Mestrado / Pós-graduação Gestão da Informação e Bibliotecas Escolares (GIBE)

Rua da Escola Politécnica, 147

1269-001 Lisboa

e-mail: gloria@univ-ab.pt

[ Página inicial ][ Página anterior ] 

[Acesso ao sítio da RBE][ Topo da página ]