Menu
Pesquisar
Freguesia - História da Freguesia

                                                                                                            Porto da Cruz

A sua denominação advém do facto do seu descobridor haver afixado uma cruz de ferro no porto, no sentido de melhor assinalar o local, cuja baía, por ocasião do tempo sul, devido à sua acalmia, se apresentava como um abrigo às diversas embarcações que por ali passavam.

Por conseguinte, em tempos remotos, todas as mercadorias, direccionadas ao Norte e à Freguesia do Santo da Serra, eram descarregadas no cais do Porto da Cruz.

O Pico da Suna (1.040 metros), o Pico do Larano (765 metros) e o Pico da Maiata (766 metros) são os pontos mais altos da Freguesia. Por seu lado, a Penha de Águia é uma iminência rochosa, na qual o seu ponto mais elevado está a 580 metros de altitude. O cimo do penedo é plano e o seu nome dá a impressão que somente as águias podem lá pousar. Do miradouro da Portela, aos 660 metros de altitude, conseguimos obter uma bela vista panorâmica, da Penha de Águia e do Porto da Cruz.

A Paróquia do Porto da Cruz foi criada a 26 de Setembro de 1577, por D. Jerónimo Barreto, sendo a primitiva padroeira da Paróquia apelidada de “Nossa Senhora da Piedade”. Na escritura de doação para a construção da nova igreja denominou-se como “Nossa Senhora da Glória”. Contudo, quando esta foi erigida, ficou consagrada como “Nossa Senhora de Guadalupe”.

Desde a sua criação, a Freguesia do Porto da Cruz pertenceu à capitania de Machico. Todavia, no ano de 1835, esta foi integrada no Concelho de Santana. Com o decreto de 19 de Outubro de 1852, a Freguesia do Porto da Cruz foi desmembrada deste Concelho, sendo anexada ao Concelho de Machico.

A primeira actividade praticada pela população desta Freguesia foi a exploração do açúcar. O fabrico de aguardente surge na Freguesia no ano de 1858, tendo inclusive um engenho que ainda labora, sendo um autêntico museu em funcionamento. Presentemente, o Porto da Cruz é muito reconhecido como a terra do vinho americano, por ser uma zona propícia ao cultivo desta uva, sendo ainda de referir, que o vime teve também a sua aparição por esta freguesia. O esmerado bordado saído das hábeis mãos das Bordadeiras da Freguesia são, de igual modo, motivo bastante para que o Porto da Cruz fique na recordação daqueles que o conhecem e visitam.

  
Visitante
83.464
Login
Utilizador:
Password:
     
Criar novo registo
Recuperar Password
Agenda de Eventos
  Acessibilidades | RSS | FAQ | Links | Pedido de Informações | Requisitos técnicos
2011 Dapfoto®